Blog Página 637

Depressão: Padre Marcelo Rossi revela que já pensou em suicídio

0

Padre Marcelo Rossi, 47, conversou com Marília Gabriela sobre sua depressão e como superou a doença. “Eu achava que depressão era frescura. Até que Deus permitiu que eu caísse”, revelou.

O eclesiástico revelou que não tomou nenhum antidepressivo e que tentou “sair sozinho”, mas que tinha consciência que pediria ajuda profissional se precisasse.

“Completei 20 anos de padre e amo o que faço. Lido com muitas pessoas deprimidas e a tendência é somatizar. Querendo ou não, você sofre junto. Eu quis fazer uma experiência e provar a uma amigo meu, psiquiatra, que era possível sair da depressão [sem remédios]. O pior são os pensamentos auto destrutivos. Tenho um caso de suicídio na família, meu avô tirou a própria vida. E eu cheguei a pensar nisso. Pensei ‘Meu Deus, será que ‘herdei’ alguma coisa?!'”.

Sobre a investigação que o Vaticano fez durante dez anos sobre a sua vida, o religioso vê como algo positivo e diz não ver problema em ser analisado financeiramente e em relação aos seus objetivos.

“Só com o santuário novo são milhões e eu doei tudo, não fiquei com nada. Não é pelo dinheiro, não queria e nem quero. Meu maior medo é fanatizar as pessoas. Há uma linha tênue entre o fanatismo e a loucura”.

Sobre sua perda de peso no ano passado, padre Marcelo Rossi revelou que na juventude estava acostumado a comer muito: “Já comi cinco quilos de chocolate em uma noite”.

O programa “De Frente Com Gabi” vai ao ar no domingo (14), à 0h.

Da redação/Fonte: JC

Neto

Oposição quer nova CPI sobre corrupção na Petrobras

0

A oposição ao governo federal vai apresentar pedido de instalação de nova Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para investigar casos de corrupção na Petrobras no início da nova legislatura, em fevereiro. O senador Aécio Neves (PSDB-MG) avaliou nesta quinta-feira (11) que o Congresso precisa retomar as apurações do escândalo com acompanhamento direto da “opinião pública” para impedir que uma nova comissão tenha o mesmo “fim melancólico” da CPMI que estava encarregada do caso.

Na última quarta (10) o relator do colegiado, deputado federal Marco Maia (PT-RS), apresentou documento com a conclusão das investigações sem pedir o indiciamento de nenhum dos suspeitos de envolvimento no esquema de corrupção. Para Aécio, o relatório foi um “desfecho vexatório” da comissão, que, de acordo com o tucano, foi “blindada” pela maioria do governo federal no Congresso.

“Infelizmente a base do governo permitiu que assistíssemos a um fim melancólico da CPMI. Já estamos colhendo assinaturas para instalar uma nova CPMI a partir do início de fevereiro porque o Congresso Nacional não pode privar-se de estar também ali, com os instrumentos e as prerrogativas que tem, avançando nessas investigações. Até porque, ao que parece, isso vai envolver também parlamentares”, afirmou o senador, após reunir-se com parlamentares aliados em Belo Horizonte.

Mesmo Aécio ressaltou ainda que, apesar de impedir o aprofundamento da apuração no Congresso, o governo federal “não conseguiu blindar as investigações que continuam ocorrendo, agora já em outros países”. Ele espera e acredita que a atuação da Polícia Federal (PF) e de outros órgãos no caso resultará na “punição exemplar de todos os envolvidos no maior crime de corrupção da história brasileira”.

Em entrevista coletiva, Aécio negou ter sofrido qualquer pressão para esvaziar a atual CPMI. Documentos apreendidos pela PF no escritório da UTC participações em São Paulo indicam que o tucano teria sido “pressionado” pela Construtora Norberto Odebrecht para “não aprofundar” as apurações e que o senador, que preside nacionalmente o PSDB, teria indicado correligionários para “fazer circo” na CPMI. “É só ver os fatos. Se existe CPMI é por causa da ação da oposição, talvez em especial a minha liderança. E colocamos os parlamentares mais aguerridos na CPMI. Infelizmente, a maioria do governo abafou (as investigações)”, frisou.

Da redação

Requinte

Brasília: Conselho de Direitos Humanos entrará com ação contra Bolsonaro

0

O recém-criado Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH) acionará a Procuradoria Geral da República contra o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) nesta quinta-feira (11) devido ao seu discurso, no plenário da Câmara na terça-feira (9), em que afirmou que não estupraria a deputada Maria do Rosário (PT-RS) porque ela “não merece”.

Presidido pela ministra Ideli Salvatti (Secretaria de Direitos Humanos), o colegiado se reunirá com a vice procuradora-geral da República, Ela Wiecko, às 17h. O Conselho também entrará com uma representação junto à Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara para pedir a cassação do mandato de Bolsonaro, reeleito para a próxima legislatura.

Bolsonaro atacou a petista ao rebater discurso feito por ela minutos antes, no qual defendeu a Comissão da Verdade e as investigações de crimes da ditadura militar.

A representação contra o deputado é o primeiro ato oficial do conselho. Seus membros tomaram posse nesta quarta-feira (10) durante a cerimônia de entrega do Prêmio Direitos Humanos 2014, no Itamaraty.

Na ocasião, Ideli classificou a atitude de Bolsonaro como gravíssima por ele ter ofendido Maria do Rosário da tribuna da Câmara. “Desta vez foi gravíssimo porque foi da tribuna. Outras vezes tinha sido no corredor, no plenário. Mas desta vez não. Ele estava no exercício indiscutível do seu mandato. Ele estava na tribuna incitando um crime hediondo”, disse a ministra.

Quatro partidos já entraram com pedidos de cassação contra o deputado no Conselho de Ética da Câmara. PT, PC do B, PSOL e PSB defendem a perda do mandato do congressista.

Da redação.

Vet

CFM autoriza que médicos prescrevam derivado de maconha

0

O Conselho Federal de Medicina (CFM) autorizou nesta quinta-feira (11) que médicos de três especialidades prescrevam o canabidiol (CBD), uma das substâncias químicas presentes na maconha, exclusivamente para tratamento de epilepsias em crianças e adolescentes. De acordo com a resolução do órgão, estão autorizados a prescrever a substância neurologistas, neurocirurgiões e psiquiatras. O órgão prevê ainda que a resolução seja revista em dois anos, com base em dados que surgirão com o tratamento.

A autorização é para o “uso compassivo”, ou seja, restrito àqueles pacientes que não tiverem resposta aos tratamentos convencionais. O Conselho recomenda ainda que o canabidiol não deve substituir completamente outras substâncias. Foi também restringida a dosagem por via oral de 2,5 mg por quilo – variando porcentualmente em cada paciente – e divididas em duas vezes ao dia. Para que um médico prescreva a substância, é necessário que ele se cadastre em uma plataforma desenvolvida pelo Conselho e que nela coloque todos os seus pacientes que estão em tratamento com o CBD. Relatórios periódicos sobre a evolução do tratamento também são solicitados pelo CFM.

Embora libere o uso medicinal do canabidiol, o CFM veda a prescrição da cannabis in natura para uso medicinal e qualquer outra substância presente na maconha, como o THC, substância que já vem sendo utilizada para tratamento de outras doenças, como o mal de Parkinson, mas cuja prescrição continua proibida no País. “Não temos elementos científicos que possam indicar a cannabis sativa (nome científico da maconha) para outros fins. Isso é derivado de fundamentação cientifica, além do contexto como um todo, das condições de drogadição”, explica o presidente do CFM, Carlos Vital.

A Academia Brasileira de Neurologia (ABN) se manifestou após a resolução do CFM reconhecendo que, embora não tenha um efeito “milagroso” para o tratamento de todas as formas de epilepsia, o canabidiol “poderá desempenhar um papel importante no tratamento de epilepsias muito difíceis, em casos específicos ainda não definidos cientificamente”. O Conselho e a ABN fazem ressalvas, dizendo que “não há evidências científicas que comprovem que os canabinóides são totalmente seguros”.

A decisão de liberar que médicos receitem a substância aconteceu após pedido da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) que, desde abril deste ano já autorizou 238 importações de canabidiol. A primeira delas aconteceu após decisão judicial a pedido da família de Anny Fischer, uma menina de seis anos que sofre de epilepsia e só conseguiu interromper a série de convulsões diárias após iniciar tratamento de canabidiol há pouco mais de um ano.

A história de Anny é contada no documentário Ilegal, lançado em outubro deste ano. O pai da menina, Norberto Fischer, acompanhou a resolução do CFM e, embora reconheça um avanço, critica algumas restrições. “Uma das coisas que foi dita ali é que você só pode testar o canabidiol depois de testar todas as outras opções. Isso significa que eu tenho que dar para a minha filha um medicamento que causa cegueira, um medicamento que causa atraso neuromotor e, se nada der certo, ai sim eu vou poder usar o canabidiol? Eu acho isso um atraso, um retrocesso.”

O caso da menina Anny provocou ainda uma ação civil do Ministério Público Federal do Distrito Federal pedindo a permissão do uso medicinal e científico da cannabis no Brasil. No fim de outubro, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado também aprovou a importação legal de produtos derivados de maconha para uso medicinal, mas a pauta ainda precisa passar pelo crivo de outras comissões e de votação plenária.

Desde a autorização da Justiça, a Anvisa vinha autorizando a importação da substância, mas exigia que os pacientes apresentassem laudo e prescrição médica. Como o canabidiol está na lista de substâncias proibidas no País, muitos médicos se recusavam a receitá-la com medo de serem punidos pelo CFM, dificultando o acesso ao medicamento. A Anvisa discute agora a decisão de tirar o canabidiol da lista de substâncias proibidas no país, mas ainda não há previsão para que isso ocorra. Esse seria um primeiro passo para que medicamentos com o canabidiol possam ser produzidos e comercializados no País.

Da redação/Fonte: Folha-PE

Maioria dos acusados da Lava Jato é ligada a empreiteiras

0

Em entrevista coletiva em Curitiba, o procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa do Ministério Público Federal (MPF) encarregada da Operação Lava Jato, disse nesta quinta-feira, 11, que ofereceu cinco acusações criminais contra 35 investigados do processo. Destes acusados, 22 são ligadas a empreiteiras, afirmou.

“A Petrobras é vítima deste esquema”, disse Dallagnol, ao lado do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. O MPF está oferecendo denúncia por corrupção, formação de organização criminosa e lavagem de dinheiro. Dallagnol dividiu o esquema em três núcleos: empreiteiras, funcionários públicos e operadores financeiros, a quem chamou de “profissionais em lavagem de dinheiro”.

Os operadores eram os responsáveis por fazer a intermediação entre os corruptores, as empreiteiras, e os funcionários da Petrobras alvos de suborno, de acordo com o procurador. “Para que o cartel pudesse funcionar e maximizar o lucro de forma abusiva, era preciso cooptar os agentes públicos”, disse.

Dallagnol citou as empreiteiras OAS, Camargo Corrêa, UTC, Engevix e Galvão Engenharia e disse que está numa “guerra contra a impunidade e a corrupção”. O procurador fez menção ainda à falta de recursos para a população que “clama por saúde, educação e saneamento básico”.

Ele disse que os funcionários recebiam dinheiro das empreiteiras por intermédio dos operadores financeiros, responsáveis por garantir que os acordos entre as partes fossem cumpridos. Dallagnol disse que funcionários de alto escalão na Petrobras eram responsáveis por vazamento de informações sigilosas da licitação e por acelerar o processo de contratação de obras.

Serenidade

Janot disse que o Ministério Público Federal atuará de “forma serena, equilibrada, mas de forma contundente” para responsabilizar cada denunciado pelos atos que praticaram. “Essas pessoas, na verdade, nos roubaram o orgulho dos brasileiros”, criticou Janot, que fez questão de reafirmar o compromisso com o andamento das investigações em outro ponto da entrevista.

Janot afirmou que o MPF atuará frente ao Supremo Tribunal Federal da mesma maneira que atua no momento no Paraná. Janot será o responsável pela denúncia de investigados com foro privilegiado. “A responsabilidade do Ministério Público é sentida por todos, do procurador-geral ao procurador que começou ontem na carreira”, afirmou.

Da redação/Fonte: Estadão Conteúdo.

SALGUEIRO: Detentos planejavam fugir do presídio de Salgueiro. Mas, não deu certo.

0

A nossa redação recebeu a informação que a situação na Unidade Prisional na cidade de Salgueiro-PE, foi contornada.

Na tarde desta quinta-feira (11), detentos tentaram fugir da unidade, porém não conseguiram.

Segundo uma fonte do blog do edy.com.br um detento fingiu que estava passando mau e chamou os agentes penitenciários. Ao se aproximarem para prestar socorro tentaram render os agentes inclusive com arma de fogo em punho. Segundo as informações houve disparo em direção aos profissionais que revidaram.

Logo a situação ficou tença, os detentos começaram a atear fogo em colchões, a direção da unidade cortou o fornecimento da energia elétrica e Policiais Militares conseguiram conversar com os mesmo e contornar a situação.

Descobriram então que se tratava de uma tentativa de fuga que foi frustrada.

Ninguém ficou ferido.

Recebemos as informações por volta das 19:00h do mesmo dia.

Nós que fazemos o BLOG DO EDY.COM.BR agradecemos aos leitores na cidade de Salgueiro que nos enviaram fotos e as informações. Nosso trabalho só existe por que o leitor pode fazer parte deste veículo.

Por Edy Vieira

Da redação do blogdoedy.com.br

EXCLUSIVO: REBELIÃO NO PRESÍDIO DE SALGUEIRO. POLÍCIA MILITAR TENTA NEGOCIAR COM DETENTOS

0

Na tarde de hoje por volta das 16:00h começou uma rebelião com detentos da Unidade Prisional de Salgueiro-PE. De longe dava para avistar uma grande nuvem de fumaça que saia do local.

Segundo as informações enviadas ao blog do edy.com.br a situação é tensa no local e policiais militares entraram na unidade para tentar negociar com os mesmos.

IMG-20141211-WA0052A fumaça foi produzida por que atearam fogo em colchões e teriam acontecido disparos de arma de fogo. O Diretor do Presídio disse a uma emissora de radio local que de fato, está acontecendo revolta, tendo sido suspensa a energia, mas que ainda não poderia adiantar mais detalhes.

Familiares de presos estão no local, que fica próximo ao 8° BPM. Há uma grande movimentação de policiais militares, civis e bombeiros.

O clima está tenso no local, já que há informações que alguns detentos estariam armados. Profissionais da saúde também estão no presídio, o que indica que provavelmente existem feridos.

Por Edy Vieira

Da redação do blog do edy.com.br

Vereador de Santa Cruz no Sertão do Araripe tem mandato suspenso e suplente deve ser convocado

0

O caldeirão da política fervilhou na noite dessa quarta-feira (10) na Câmara Municipal José Coriolano sobrinho, em Santa Cruz no Sertão do Araripe.

Carlos-Romeiro1Isso por que, em virtude das constantes faltas registradas pelos vereadores na cidade, o único vereador de oposição da cidade Carlos Romeiro (PHS), solicitou a mesa diretora que informasse o número de faltas de cada vereador durante o ano legislativo de 2014 a fim de aplicar o que determina o Regimento Interno do Legislativo no seu artigo 11, paragrafo primeiro, inciso III, que determina perda de mandato ao vereador que tiver faltado sem justificativa a mais de 1/3 das seções ordinárias desta casa e com isso o vereador Telvando Rodrigues Soares (PR), teve o mandato suspenso por uma medida administrativa pelo presidente da câmara, Cunegunde Filgueira Cavalcante e assume o suplente da coligação Osvaldo Soares da Silva ( Coco ) do PR .

Camara-lotada-1A população compareceu ao plenário da câmara  para prestigiar  os trabalhos da sessão.

Da redação do blog do edy.com.br/Lagoa Grande Notícia